Silas Malafaia nega encontro com Moro: “Não converso com Judas”

Pastor Silas Malafaia

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O pastor Silas Malafaia afirmou que não vai se reunir com o ex-juiz Sergio Moro, porque, de acordo com Malafaia, Moro é “Judas e traíra”. O ex-juiz  tem se reunindo com líderes evangélicos do Brasil, incluindo aliados de Bolsonaro, para os seus trabalhos de pré-campanha.

Moro se encontrou com o pastor bolsonarista R.R. Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus, em dezembro do ano passado. Agora, ele pretende se encontrar com Silas Malafaia. Moro conta com ajuda do fundador da Associação Nacional dos Juristas Evangélicos (Anajure), o ex-juiz Uziel Santana, para se infiltrar no meio evangélico.

Apesar de dizer que está aberto para conversar com outros políticos além de Bolsonaro, Malafaia afirma que a Moro, “não dá papo”. O pastor também criticou a atuação do ex-juiz como ministro da Justiça no governo de Bolsonaro.

“No ano passado, ele viu trabalhadores sendo presos por causa de governos esquerdopatas insensatos e não abriu a boca para nada. Eu vou dar atenção a um cara desse? Manda ele plantar batata”, disse Malafaia.

Malafaia chamou vacinação infantil de “infantícídio”

No Twitter, o pastor disse não existir motivo para vacinar crianças contra a covid. “Vacinar crianças é um verdadeiro infanticídio. Os números provam que não há necessidade de fazer isso”, escreveu Malafaia, contrariando a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Ministério da Saúde e a Anvisa.

Malafaia precisou apagar 11 tuítes sobre a vacinação depois de o Twitter ameaçar deletar sua conta.

Em nota, o Twitter afirmou que pode “obrigar que os clientes excluam os tuítes que violem a política da plataforma sobre informações enganosas acerca da covid-19 e que sejam gravemente nocivas”. O perfil do pastor teve suas atividades restringidas por 12 horas.

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA MAIS