Irmão de Bolsonaro atuou na liberação de cruzeiros marítimos

Bolsonaro e o irmão Renato

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Capitão da reserva e irmão de Jair Bolsonaro, Renato Antônio, que é chefe de gabinete da prefeitura de Miracatu, atua como intermediário informal dos interesses da cidade e da região Sul do estado de São Paulo (na Baixada Santista e no Vale do Ribeira), informa reportagem do jornal O Globo.

Segundo a reportagem, foi Renato Bolsonaro quem conseguiu a liberação da circulação de cruzeiros marítimos, que estava suspensa por causa da pandemia e tem grande importância para a economia da região. 

Ele e o assessor especial da Presidência Mosart Aragão, seu amigo de longa data, falaram diretamente com o ministro do Turismo, Gilson Machado. O caso foi contado por Aragão em entrevista a uma rádio de Jaboticabal (SP), em novembro do ano passado.

“Tivemos aqui recentemente por intermediação do Renato, que mora na região, e levou esse pleito da liberação dos cruzeiros marítimos, que estavam parados por conta da pandemia. E a gente levou ao ministro Gilson Machado, que fez a viabilização com o fim dessa pandemia e vacinação da maior parte da população. E, graças a Deus, foi liberado”, disse Aragão.

Em novembro, começou a temporada de cruzeiros marítimos, mas com o aumento de casos de Covid nas embarcações, e no país inteiro, as operações foram suspensas pela Associação Brasileira de Cruzeiros (Clia Brasil) com base em recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Nesta quarta-feira, 12, a Anvisa recomendou a suspensão definitiva da temporada de cruzeiros no Brasil.

De acordo com Aragão, Renato é “totalmente acessível” e geralmente é buscado por quem não consegue contatar Jair Bolsonaro. “As pessoas geralmente procuram o irmão do presidente porque não têm acesso ao presidente”, disse.

Já Renato, à mesma rádio, afirmou que “nessa função que ele (Bolsonaro) assumiu, eu me coloquei no meu local. Mas deixei o acesso a mim fácil. E as pessoas realmente me procuram, com sugestões, ideias, comentários, às vezes mandando uma lembrança, mandando um mimo. E eu faço essa parte. Direciono ao presidente”.

A entrevista foi realizada quando os dois estavam com empresários e políticos de Jaboticabal, onde receberam o pedido de convencer Jair Bolsonaro a alçar a cidade ao status de “capital nacional do amendoim”, segundo O Globo.

Relações com o Planalto

A reportagem lembrou que Renato é próximo do ministro do Turismo, que em uma publicação de novembro de 2019 refere-se ao irmão de Bolsonaro como “meu amigo”, afirmando ainda que ele “quem leva a gente à região do Vale do Ribeira, que vai fazer a região despontar. (…) Eu queria que o Renato falasse um pouquinho porque ele veio aqui em Brasília buscar recursos, capitanear recursos”.

Durante o atual governo, Gilson Machado é o ministro que mais visitou Miracatu (SP), onde Renato é chefe de gabinete da cidade, onde mora a mãe de Bolsonaro. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também já visitaram o município.

O Globo destacou ainda que, quando não são os ministros que vão à região, Renato leva os prefeitos e os vereadores a Brasília. Bolsonaro, em novembro do ano passado, recebeu no Palácio do Planalto uma comitiva com o prefeito de Miracatu, Vinicius Brandão (PL), o irmão Renato e vereadores aliados para ouvir os pleitos da cidade de 20 mil habitantes.

O ex-prefeito de Miracatu Ezigomar Pessoa (PSDB) afirmou ao Globo que “nunca tive (convite para ir a Brasília). E que eu saiba, nenhum outro prefeito teve antes. A atenção agora é diferente por causa do Renato”.

Verbas para a cidade

No fim de 2021, o Turismo empenhou cerca de R$ 6 milhões a Miracatu no chamado orçamento secreto. De acordo com a pasta, o dinheiro servirá para a construção de um centro de eventos e um museu. Na mesma época, outros R$ 30 milhões de verba federal foram empenhados à cidade pelos ministérios da Cidadania, Saúde e Agricultura.

O ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), confirmou que Renato o procurou para que houvesse liberação de verbas da União, no final de 2021, para Miracatu. O governo federal investiu R$ 35 milhões na cidade paulista. Deste montante, R$ 9 milhões saíram da pasta comandada por Roma.

Fonte: Brasil 247

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA MAIS