Randolfe pede ao STF que Bolsonaro seja multado quando espalhar fake news sobre vacina

https://contracorrente.com.br/wp-content/uploads/2022/01/randolfe-rodrigues-social.jpg

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O senador Ranfolfe Rodrigues (Rede/AP) apresentou um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira (7) para que o presidente Jair Bolsonaro (PL) seja multado toda vez que espalhar fake news sobre a vacinação infantil.

O parlamentar pede que o STF proíba que o mandatário espalhe mentiras sobre a vacinação em crianças e seja multado em R$ 200 mil por dia sempre que o fizer.

“ATENÇÃO! Protocolei pedido para que o STF proíba Bolsonaro de espalhar Fake News sobre a vacinação infantil contra a Covid – e aplique multa diária de R$ 200 mil caso Bolsonaro insista na conduta. Essa sanha assassina não pode continuar!”, anunciou Randolfe no Twitter.

“Além de confundir e desinformar a população sobre assunto da mais alta relevância para a saúde e a vida de todos os brasileiros ─ sejam crianças, adultos ou idosos ─, a sanha contra as vacinas por parte do titular do Poder Executivo a nível federal repercute nas ações adotadas pelo Ministério da Saúde”, afirma o senador no documento enviado em STF.

O relator do caso é o ministro Alexandre de Moraes, responsável pelo inquérito das milícias virtuais.

Em sua campanha antivacina, Bolsonaro voltou a atacar a Anvisa na quinta-feira. Pela manhã, sugeriu que a Anvisa teria interesses “por trás” com a vacinação e disse que há pessoas “taradas” por vacina.

À noite, durante sua live presidencial, Bolsonaro reafirmou que não irá vacinar a filha Laura, de 11 anos, e chegou a dizer que “alguma coisa deve estar errada” com as vacinas desenvolvidas contra a Covid-19. “A vacina não garante que você possa não contrair o vírus. Assim como não diz nada se você está livre de morte”, disse. O presidente ainda disse que a Anvisa teria virado um novo Poder.

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA MAIS