Pagamentos pelas internações de Bolsonaro são cercados de dúvidas

Bolsonaro caminha pelo hospital

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Além da internação nesta semana em decorrência de uma suposta obstrução intestinal, Jair Bolsonaro já se internou no hospital Vila Nova Star, da Rede D’Or, em outras três ocasiões.Em 2019 e 2021 ele foi hospitalizado para tratar de sequelas da suposta facada que recebeu durante a campanha eleitoral de 2018. Em 2020 o chefe do governo federal também deu entrada no hospital para a retirada de cálculo na bexiga.

Os pagamentos feitos pela Presidência ao hospital, porém, têm versões diferentes, segundo a Folha de São Paulo.

Por meio da Lei de Acesso à Informação na terça-feira (4), a Secretaria-Geral informou que as faturas com os custos das internações de 2019 a 2021 “não foram apresentadas pela instituição prestadora do serviço até a presente data” e que, portanto, havia a impossibilidade de detalhar o assunto. O pedido de informações feito pela reportagem ocorreu em dezembro de 2021 e, assim, não compreende a mais recente internação de Bolsonaro.

O hospital Vila Nova Star disse em nota na quarta-feira (5) que todas as contas hospitalares referentes às internações de Bolsonaro “foram devidamente pagas pela Presidência da República, assim como ocorrerá com essa”.

Diante das informações divergentes, a assessoria da Secretaria-Geral afirmou que “até o presente momento foi apresentada a fatura da internação ocorrida no Hospital Vila Nova Star em julho de 2021”, no valor de R$ 7.500.

O pagamento, ainda de acordo com a assessoria, foi realizado pelo HFA (Hospital das Forças Armadas) em 15 de dezembro de 2021 e o ressarcimento pela Presidência ao HFA “está em fase de instrução”.

Os pagamentos referentes às internações de 2019 e 2020, porém, não foram esclarecidos.

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA MAIS