Apoiadores de Lula usam slogan de Trump para promover campanha eleitoral

"Make Lula president again"

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Apoiadores do pré-candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estão investindo em acessórios para aumentar o apoio do petista nas eleições deste ano. Bonés vermelhos com a estampa que parafraseiam a logomarca da campanha eleitoral do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, são vendidos em lojas online visando promover a campanha do petista.

A paródia “Make Lula president again” estampados em acessórios vermelhos são de “Make America Great Again”, (“Faça a América Grande Novamente”, em inglês), um slogan de campanha adotado durante o período presidencial dos republicanos em 2015. O termo foi popularizado por Donald Trump durante a sua vitoriosa campanha presidencial.

O slogan, no entanto, tem dono, e é o próprio ex-presidente derrotado por Joe Biden em 2020. A patente para “MAKE AMERICA GREAT AGAIN” pertence à “Donald J. Trump for President, INC.” desde 19 de novembro de 2012, pouco depois da vitória de Barack Obama para um segundo mandato. As patentes requeridas nos Estados Unidos são respeitadas no Brasil, por meio de acordos internacionais entre os dois países.

A semelhança das peças que fazem referência a Lula e a Trump também também está na cor predominante: vermelho. Nos Estados Unidos, o sistema partidário é dividido por Democratas e Republicanos. Os Republicanos, onde Trump estava inserido, é referenciado pela cor vermelha. Enquanto os Democratas, por azul.

As peças vendidas, no entanto, não possuem ligação com o Partido dos Trabalhadores (PT). O caso é diferente de uma marca de cervejas que desenvolveu uma linha de cervejas para arrecadar recursos para reeleger o presidente Jair Bolsonaro.  No caso da cerveja, os criadores – empresários da cidade de Tangará da Serra (MT) – tinham a explícita intenção de arrecadar fundos para a campanha de reeleição de Bolsonaro em 2022. O caso foi denunciado à Procuradoria Geral Eleitoral (PGE) pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

Reprodução da peça que está sendo usada por apoiadores do ex-presidente

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA MAIS