Ministro Gilmar Mendes diz que Mendonça parece ter “vindo de Marte”

Gilmar Mendes em entrevista

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes disse, nesta quarta-feira (7), que o advogado-geral da União, André Mendonça, parece ter “vindo de Marte” para o julgamento do STF sobre a possibilidade de Estados e municípios proibirem cultos e missas presenciais durante a pandemia.

Gilmar Mendes ironizou a defesa do advogado-geral da União. “Quando sua excelência fala dos problemas dos transportes no Brasil, especialmente do transporte coletivo, e fala do problema do problema do transporte aéreo com a acumulação da pessoa eu poderia ter entendido que sua Excelência teria vindo agora para a Tribuna do Supremo de uma viagem à Marte”, disse.

O magistrado criticou a atitude “institucional” de André Mendonça durante o período em que foi ministro da Justiça do governo de Jair Bolsonaro. “Ele estava descolado de qualquer responsabilidade institucional de qualquer assunto no Brasil”, disse Gilmar. “Fui verificar aqui, ‘googlar’ como diz os mais jovens e verifiquei que ele era ministro da Justiça até recentemente e que tinha responsabilidades institucionais.”

De acordo com Gilmar Mendes, André Mendonça foi omisso e que cabe à União “legislar sobre diretrizes da política nacional de transportes“.

“Parece que está havendo um certo delírio nesse contexto geral. É preciso que cada um de nós assuma as suas responsabilidades, isso precisar ficar muito claro”, disse. “Não tentemos enganar ninguém, até porque os bobos ficaram na corte”.

Assista ao momento da fala do ministro.

O chefe da AGU citou a lotação nos transportes públicos como uma “justificativa” para a realização das reuniões religiosas. De acordo com Mendonça, “não estamos tratando de um debate sobre vida e morte”.

“Como estão nossos ônibus, nossos trens, nosso transporte aéreo? Nossas secretárias do lar continuam a passar duas horas nos ônibus, trens e metrôs superlotados para estarem nos servindo em nossos lares”, explicou.

O placar está 1 a 0 a favor da possibilidade de Estados e municípios suspenderem atividades religiosas presenciais durante a pandemia. Até o momento, só o relator da ação, ministro Gilmar Mendes, votou. O julgamento deve ser retomado nesta quinta-feira (8).

BOLSONARO

O presidente publicou em seu canal no Telegram um vídeo com o momento da fala de André Mendonça, em que o AGU defende a abertura das igrejas. Mendonça é um dos cotados para a vaga do ministro Marco Aurélio no Supremo Tribunal Federal. O magistrado vai se aposentar em 5 de julho.

Fonte: Poder360

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *