Bolsonaro torrou R$ 2,5 milhões de dinheiro público em 19 dias de férias

Bolsonaro em férias

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Em conduta oposta ao que se espera de um chefe de governo em meio a uma crise sanitária sem precedentes, o presidente Jair Bolsonaro saiu de férias por 19 dias, entre 18 de dezembro de 2020 a 5 de janeiro deste ano. Mais que isso, porém, o presidente “queimou” dinheiro público durante sua folga.

Enquanto o povo brasileiro vive entre a fome e a covid, os 19 dias de descanso de Bolsonaro custaram aos cofres públicos cerca de R$ 2,5 milhões. Em outras palavras, as férias fora de hora do presidente da República custaram ao país algo como R$ 131 mil por dia.

Os gastos englobam hospedagem, alimentação, bebidas, passeios e entretenimento, locomoção, passagens aéreas, contratação de terceirizados. Só no cartão corporativo, o gasto foi de R$ 1.196.158,40. Para a manutenção e combustível dos aviões usados em seus passeios, mais R$ R$ 1.053.889,50. Teve, ainda, R$ 202.538,21 com diárias da equipe de segurança.

O pedido de prestação de contas foi feito pelo deputado Elis Vaz (PSB/GO), que, ao Poder360, disse que vai encaminhar os dados ao TCU. “Aparentemente, há exageros. Impossível gastar isso tudo em tão pouco tempo”.

Tapa na cara

Os “exageros” ficam ainda mais evidentes quando são comparados com o valor do auxílio emergencial que o governo Bolsonaro definiu para os brasileiros, entre R$ 150 e R$ 375 por família. Os cerca de R$ 2,5 milhões gastos nos 19 dias afastados de suas responsabilidades dariam para pagar 16.667 auxílios mensais de R$ 150, 6.667 de R$ 375 ou 4.167 de R$ 600, valor da primeira leva de auxílios, no ano passado.

E que Bolsonaro fez questão de não pagar esse ano, depois de três meses sem nenhum amparo do governo à população vulnerável. “Isso é um tapa na cara do povo brasileiro. Nós precisamos desmarcarar esse presidente. Em plena pandemia, ele de férias gastando milhões da população. Isso é inaceitável”, disse Elias Vaz, em sua conta no Twitter.

Fonte: Rede Brasil Atual

COMENTÁRIOS

Uma resposta

  1. O cidadão Brasileiro deve pensar melhor quando vai votar na próxima eleição, 2022 tem muito político honesto na fila pra ser Presidente deste País

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *