Pela 2ª vez Polícia Federal conclui que Adélio agiu sozinho e sem mandantes no ataque a Bolsonaro

Adélio Bispo de Oliveira

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A Polícia Federal (PF) concluiu em seu segundo inquérito sobre o caso que Adélio Bispo de Oliveira agiu sozinho, por iniciativa própria, sem mandantes e ajuda de terceiros no ataque a faca ao presidente Jair Bolsonaro em 2018.

De acordo com a investigação entregue nessa quarta-feira (13) para a Justiça Federal em Juiz de Fora (MG), Adélio foi responsável tanto pelo planejamento do crime quanto por sua execução.

Também não foi comprovada a participação de partidos políticos, facções criminosas, grupos terroristas ou mesmo paramilitares em qualquer das fases do crime.


ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS


Este inquérito foi aberto justamente para assegurar que não houve participação de um mandante ou de terceiros no ato. Os filhos e apoiadores do presidente Bolsonaro sempre questionaram nas redes sociais quem seriam os mandantes do crime.

O primeiro inquérito sobre o caso foi concluído já em setembro de 2018. A investigação inicial já havia considerado que Adélio agiu sozinho no momento do ataque e que a motivação teria sido “indubitavelmente política”.

Com informações do Poder 360

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *