Felipe Neto faz editorial rompendo com influenciadores que não se posicionaram contra Bolsonaro

Felipe Neto

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Diante do atual cenário político nacional, o youtuber Felipe Neto decidiu, definitivamente, romper com influenciadores que se mantêm “isentos” e não se posicionam de forma contrária às ações e posições de Jair Bolsonaro.

Ele postou, em seu Twitter, um vídeo com uma espécie de editorial, reafirmando sua veemente oposição ao presidente do Brasil.‌‌‌

“Ninguém é obrigado a se manifestar politicamente. Na época das eleições, que era PT contra Bolsonaro, não entendi como o pessoal ficou calado. Bolsonaro assumiu, começou a vir um monte de cagada, um monte de escândalo”, iniciou o youtuber.

Felipe Neto logo criticou os influenciadores digitais e artistas. “Todas as questões envolvendo Queiroz, envolvendo caixa 2, envolvendo investigações da Polícia Federal, envolvendo fake new. E o pessoal foi ficando calado. Cantores, artistas, grandes youtubers, grandes instagrammers, calados”.‌

“Só que aí, acabou a tolerância. O momento de rompimento da tolerância, do não dá mais, se você ficar calado, você é cúmplice, foi o momento que o Bolsonaro começou a ameaçar o STF e o Congresso Nacional”, acrescentou.‌

“No momento em que ele vai numa manifestação que pede o fechamento do STF e do Congresso Nacional, que pede a implementação da AI-5, de uma ditadura militar, e ele vai nessa manifestação, e ele grita no palanque dessa manifestação, acabou passada de pano”, destacou o youtuber.‌‌

Fascismo

“Influenciador que não se manifesta agora é cúmplice. Estamos oficialmente contra um regime fascista. E quem se cala perante o fascismo é fascista, ponto final. Pra mim, é uma cambada de covarde, uma cambada de gente que tá mais preocupada com a quantidade de seguidores e dinheiro que ganha do que com o futuro da sua pátria, da sua nação e da sua própria liberdade”, ressaltou.‌‌

“Acho que vocês sabem quais os influenciadores, essas pessoas que ficam em cima do Moro, do muro, que preferem a isenção a correr o risco de perder seguidores, a se posicionar contra o fascismo, a se posicionar contra esse lunático que está no poder, e com isso perder a admiração daqueles, mais ou menos 30% da população brasileira que continua ainda fiel a essa loucura. É uma insanidade”, disparou.

“Eu prefiro me cercar dos 70% do que calar tentando manter os 100%. Eu acho que isso é muito mais digno, menos covarde. É minha função como influenciador, como pessoa que tem grande alcance, lutar pela liberdade de expressão, de pensamento, pela pluralidade, pelo Estado laico. Quem se cala nesse momento perante o fascismo torna-se fascista”, completou Felipe Neto.

Confira a publicação no Twiter

Com informações da Revista Fórum

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *