Governo avalia desonerar folha salarial e recriar a CPMF para gerar emprego após a pandemia

Ministério da Economia

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A equipe econômica chefiada pelo ministro Paulo Guedes voltou a discutir a possibilidade de implantar um novo imposto, semelhante à extinta CPMF. A criação do novo tributo está incluída no conjunto de medidas em estudo como forma de reduzir a tributação salarial, compensar a perda de arrecadação e gerar empregos no período pós-pandemia.

Apesar do assunto ter voltado à mesa de discussão, Jair Bolsonaro já havia se posicionado em outras ocasiões de forma contrária a criação um imposto sobre transações financeiras nos moldes da CPMF. 


ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS


Segundo reportagem do jornal O Globo, auxiliares de Guedes avaliam que o assunto deverá voltar à tona “no momento oportuno” em função da recessão econômica e do número de trabalhadores informais, que chega a quase 100 milhões, que buscaram o auxílio emergencial em função da pandemia. 

A ideia é que os empregadores deixem de pagar os 20% referentes ao INSS sobre os salários de maneira que este recurso seja coberto pelo novo imposto.  Nesta linha, quanto maior for a desoneração da folha, maior será a alíquota que será paga pela população. 

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *