“Desenterrar mortos?”: Regina Duarte abandona entrevista após vídeo de Maitê Proença

Regina Duarte na CNN

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A atriz Regina Duarte, secretária Especial de Cultura do governo Bolsonaro, deu um chilique, segundo palavras da própria, durante entrevista na rede CNN Brasil em que foi exibido um vídeo da atriz Maitê Proença questionando os feitos de Duarte no governo.

“Ah, não vão fazer isso, isso é baixo nível. Vai botar uma fala da Maitê?”, disse Duarte logo que foi exibido o vídeo. Enquanto a emissora exibia a fala de Proença, Regina fez o que chamou de “chilique”, apesar do microfone estar cortado. Ela balança o fone de ouvido mostrando que não está escutando os apelos da classe artística.

“Eu não quero ouvir, vocês estão me obrigando? Precisei dar um chilique aqui. Pra que estão desenterrando uma mensagem da Maitê?”, disse após a mensagem ser exibida.

“Eu tinha tanta coisa para falar… Vocês estão desenterrando mortos. Vocês estão carregando um cemitério nas costas. Vocês devem estar cansados, fiquem leves”, completou.


ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS


Sem saber que ainda estava no ar, Regina ainda reclama que “não foi combinado nada disso”. “Eu achei que era uma entrevista com você, Daniel. Começa a entrar pessoas, desenterrar mortos? Pelo amor de Deus”, afirmou.

No vídeo, Maitê Proença pedia para que Regina falasse com os artistas. “Rubem, Aldir, Moraes, e nenhuma palavra do presidente. Nenhuma palavra da nossa secretária de Cultura. Regina, eu apoiei desde o início você ter o direito a ter uma opinião que divergia da maioria dos seus, e estou aqui clamando para que se apresentem os feitos, fale com a sua classe…”, dizia.

Ditadura militar

A atriz se negou a comentar sobre a defesa do presidente Jair Bolsonaro à ditadura militar. “Eu não quero ficar olhando pra trás. Se eu ficar olhando pro retrovisor, eu vou dar trombada. Tem que olhar pra frente, tem que amar o país. Ficar cobrando coisas que aconteceram nos anos 60, 70, 80…”, afirmou.

“Gente, vambora… Pra frente. ‘Pra frente Brasil, salve a seleção’. Não era bom quando a gente cantava isso?”, disse, cantando música de exaltação criada pelo regime. “Cara, vou te falar uma coisa, na humanidade não para de morrer gente. Por que as pessoas insistem? Sempre houve tortura”, completou.

“Não quero arrastar um cemitério de mortes nas minhas costas”, disse ainda.

Artistas mortos

Duarte ainda reclamou das críticas de que estaria em silêncio sobre a morte de artistas. “A minha assessoria de comunicação, desde a primeira morte de uma pessoa importante na Cultura, me cobrou uma divulgação da Secretaria. Eu optei por mandar uma mensagem como secretária para as famílias das pessoas. Será que eu vou ter que virar um obituário? Quantas pessoas a gente está perdendo? Teve uma semana que a gente perdeu três”, declarou.

Assista a alguns trechos:

Com informações da Revista Fórum

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *