Porta-voz da Presidência é diagnosticado com covid-19

Otávio Rêgo Barros

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rêgo Barros, foi diagnosticado com covid-19, segundo o jornal O Estado de São Paulo. A informação foi confirmada no gabinete do porta-voz. Segundo sua assessoria, Rêgo Barros está bem e cumpre isolamento domiciliar.

Rêgo Barros fez o teste na segunda-feira (4) e recebeu o resultado positivo ontem (5). Ele tem 59 anos e está na função de porta-voz do presidente Jair Bolsonaro desde janeiro de 2019. No primeiro ano do governo, era o responsável pelos briefings diários à imprensa, que acabaram suspensos este ano.

O porta-voz é o novo caso de contaminação no governo Bolsonaro. O primeiro diagnosticado foi o secretário especial de Comunicação Social, Fabio Wajngarten, após viagem aos Estados Unidos em meados de março. Outros integrantes da comitiva também testaram positivo, como os ministros do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Rêgo Barros, porém, não integrou a comitiva presidencial na viagem.


ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS


O presidente Bolsonaro fez dois exames para identificar o coronavírus, nos dias 12 e 17 de março. Segundo ele, ambos os resultados deram negativo. Ele não mostrou, porém, os resultados, a exemplo do que fizeram outras autoridades. A não exibição dos resultados ensejou pedidos na Justiça para que a informação do estado de saúde mandatário seja divulgada. O imbróglio judicial ainda está em curso.

Leia abaixo a nota divulgada pela Secom/PR:

NOTA À IMPRENSA

O Porta-Voz do Presidente da República, General OTÁVIO SANTANA DO RÊGO BARROS, testou positivo para a COVID-19. Realizou o teste na segunda-feira (4 de maio), tendo o resultado sido confirmado no dia de ontem. O Gen Rêgo Barros encontra-se em sua residência, cumprindo todos os protocolos recomendados e, até o momento, sem sintomas que mereçam maiores preocupações.

Com informações do Congresso em Foco

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *