Agência de classificação de risco reduz para negativa perspectiva da nota do Brasil

Agência Fitch

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A agência de classificação de risco Fitch reduziu de estável para negativa a perspectiva da nota da dívida pública brasileira. A decisão foi divulgada na noite desta terça-feira (5) e ocorre dois anos depois de a agência ter indicado que não pretendia rever a nota do país.

A perspectiva estável significa que a agência pode reduzir a nota do país nos próximos meses ou anos. Atualmente, a Fitch concede nota BB- para o Brasil, três níveis abaixo do grau de investimento, garantia de que o país não corre risco de dar calote na dívida pública. A perspectiva estável indicava que a nota não seria alterada tão cedo.

Em comunicado, a Fitch citou dois fatores para justificar a decisão. O primeiro foi a deterioração das perspectivas para a economia, que vinha num cenário de desequilíbrios fiscais e de baixo crescimento econômico, mas foi agravada pela pandemia do novo coronavírus. Segundo a agência, o Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas) deve ter contração de 4% neste ano. Queda de arrecadação e gastos maiores elevam o déficit do governo e fazem a dívida pública subir.


ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS


O segundo fator foi a tensão política. Segundo o comunicado, existe um “relacionamento volátil” entre os Poderes Executivo e Legislativo, que pode prejudicar a aprovação de reformas estruturais depois da pandemia.

“Ainda que a administração e o Congresso tenham trabalhado juntos para aprovarem uma importante reforma previdenciária em 2019 e as recentes medidas emergenciais para apoiar a economia, fricções periódicas reduziram a previsibilidade dos resultados econômicos e políticos e nublaram as perspectivas de reforma após a pandemia”, destacou o texto.

A última vez em que a Fitch tinha rebaixado a nota brasileira tinha sido em fevereiro de 2018, quando a classificação do país foi reduzida para três níveis abaixo do grau de investimento. Essa é mesma nota concedida pela S&P, outra das principais agências de classificação de risco. A Moody’s classifica o país dois níveis abaixo do grau de investimento.

No início de abril, a S&P tinha rebaixado a perspectiva da nota brasileira. Na ocasião, a agência reduziu a perspectiva de positiva para estável, o que indica que a agência desistiu de melhorar a nota do Brasil nos próximos meses.

Procurado pela Agência Brasil, o Ministério da Economia ainda não informou se comentará a diminuição da perspectiva da nota brasileira pela Fitch.

Com informações da Agência Brasil

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *