Caio Coppolla, que minimizou doença, revela teste positivo para Covid-19

Caio Coppola na CNN

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O bacharel em Direito e comentarista da CNN, Caio Coppolla, revelou nesta terça-feira (28) durante o programa “O Grande Debate” que teve teste positivo para Covid-19. Ele havia sido afastado da emissora em março após apresentar sintomas da doença, mas só teve confirmação da infecção nesta semana.

“Tenho que vir a público, porque isso não ficou claro. Fui afastado por suspeita de contaminação por Covid-19. À época eu fui para o hospital e não consegui fazer exame. Os exames eram só para casos graves”, relatou o comentarista.

“Hoje eu fiz o teste e, de fato, contraí a doença. Estou nas tristes estatísticas, mas como paciente recuperado”, afirmou ele.

“Se precisar mostro os exames comprovando que infelizmente contraí a doença”, brincou o comentarista, em referência à decisão judicial que dá ao presidente Jair Bolsonaro 48 horas para apresentar seus exames para detecção do coronavírus.

Em debates na CNN, Coppolla sustenta uma opinião alinhada ao do presidente com relação às formas de combate ao coronavírus. Comentarista defendia o fim do isolamento social em prol do “isolamento vertical”, ou seja, apenas dos que são considerados do grupo de risco. A medida, no entanto, não tem respaldo científico ou apoio das autoridades de saúde mundiais.

Coppolla chegou a reclamar durante um debate que “apenas” os médicos infectologistas são ouvidos contra o coronavírus. “As nossas autoridades públicas só ouvem um tipo de especialista, que são os médicos infectologistas, que entre esses profissionais da medicina, são aqueles que propõe uma única abordagem, que é trancar todo mundo em casa”, criticou.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Coppolla minimizou a doença ao dizer que o número de mortes por Covid-19 é baixo em comparação com outras doenças ou fatalidades, como “morrer engasgado”.

Confira:

Fonte: Revista Fórum

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *