MP paulista denuncia Lula e Boulos por “invasão” de “triplex” do Guarujá

MTST ocupa tríplex no Guarujá

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Ministério Público Federal de São Paulo apresentou uma denúncia nesta quarta-feira (29) contra o ex-presidente Lula e o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, por uma ocupação realizada pelo movimento no apartamento do Condomínio Solaris – o triplex do Guarujá – atribuído ao ex-presidente uma semana após a condenação de Lula.


Fique informado, acompanhe o blog Contra Corrente nas redes sociais:
Facebook, Instagram e Twitter


Segundo O Antagonista, o MP alega que Lula estimulou a ocupação – considerada uma invasão pela promotoria – do imóvel ao dizer, em discurso feito em janeiro de 2018, que teria pedido “para o Guilherme Boulos mandar o pessoal dele ocupar”. Cerca de 30 manifestantes ingressaram no apartamento.

Embora o imóvel seja atribuído a Lula pelo próprio MP, a denúncia aponta que houve esbulho possessório, quando se invade “terreno ou edifício alheio”. A pena é de até seis meses de detenção e multa.

Na época, o  coordenador do MTST, Josué Rocha, disse que a ação teve como objetivo “denunciar a farsa do processo que envolve o presidente Lula, que está preso há uma semana injustamente”. “Nós queremos provar isso na prática. Se o triplex é dele, então nós podemos ficar. Se não é do Lula, por que ele está preso?”, disse.

Os manifestantes ficaram cerca de três horas dentro do imóvel e logo foram retirados pela Polícia Militar. “O MTST foi retirado do triplex, sob a alegação de flagrante, disseram que não precisavam de reintegração, e ameaçaram prender todos se não saísse no prazo, levando a uma intervenção do Choque. Totalmente arbitrário. Nenhuma novidade”, comentou Boulos na ocasião.

Em fevereiro do ano passado, a Polícia Federal havia aberto investigação para saber se Lula “influenciou” o ato.

Fonte: Revista Fórum

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *