Piñera, do Chile, tem 6% de popularidade, a mais baixa aprovação desde a volta da democracia

Sebastián Piñera

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Os protestos que atingiram o Chile nos últimos meses derrubaram a 6% a aprovação ao governo do presidente Sebastián Piñera, de acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira (16).

A pesquisa do Centro de Estudos Públicos (CEP) mostrou que o apoio ao presidente conservador caiu 19 pontos ante levantamentos anteriores, enquanto a rejeição subiu 32 pontos percentuais e chegou a 82%.


Fique informado, acompanhe o blog Contra Corrente nas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter


O resultado relativo ao presidente se soma ao acentuado declínio generalizado na confiança nas instituições, com quedas superiores a 10 pontos entre serviços de segurança e militares.

Protestos acentuaram queda

O Chile submergiu em intensos protestos desde meados de outubro, motivados por uma alta no preço dos transportes, mas que se estenderam a outras demandas.

A pesquisa revelou que os itens mais solicitados foram aposentadorias, saúde e educação. Mais da metade dos entrevistados mostrou apoio às manifestações, e 64% consideraram que a polícia violou os direitos humanos.

A pesquisa contou com 1.496 entrevistas em todo o país entre 28 de novembro e 6 de janeiro, com margem de erro de mais ou menos 3 pontos.

Na noite de quarta-feira, Piñera anunciou mudanças no sistema de aposentadoria, com aumento gradual na contribuição previdenciária por trabalhador. Com isso, o presidente quer que as empresas paguem mais para a aposentadoria dos funcionários — em uma medida para tentar estancar a queda na popularidade.

Fonte: Fabián Andrés Cambero (Agência Reuters)

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *