Dívidas das famílias travam consumo e tiram R$ 30 bilhões da economia

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp


Somada à retração da economia, o desemprego e a perdas salariais, a perspectiva baixa para o consumo aponta para mais um ano de fosso estatístico.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, “especialistas esperavam que essa redução fosse um pouco mais rápida neste ano. Nas contas da AC Pastore, consultoria do ex-presidente do Banco Central, Affonso Celso Pastore, a previsão era que o peso das dívidas sobre a renda das famílias chegasse ao fim de 2018 um ponto percentual menor, ao redor de 19%.”

O economista Marcelo Gazzano, da AC Pastore, explica que, hoje, “a massa salarial ampliada está em R$ 3,173 trilhões. Aplicando a folga esperada (1%) sobre esse total, se chegaria a algo próximo ao montante bilionário a ser injetado na economia brasileira.”

Hoje, há 12,4 milhões de desempregados e, entre os ocupados, cerca de 40% estão na informalidade. “Indivíduos na informalidade têm menor propensão a consumir, uma preocupação adicional”, afirma Gazzano.

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA MAIS